26 de fev de 2011

FRASES E PERGUNTAS QUE SÓ OS POLICIAIS OUVEM

fonte: danillo ferreira


É natural que toda profissão carregue consigo uma série de visões preconcebidas e estereótipos. A profissão policial não poderia ser exceção nesse sentido, e também sofre com muitas visões irrefletidas, que chegam até a possuir explicações para sua existência, mas não se justificam quando são generalizadas. Neste post vamos demonstrar e comentar algumas delas, para que o leitor possa entender alguns chavões que temos que desconstruir no dia-a-dia:

“Você já bateu em alguém? Já matou alguém?”

Quase todo o imaginário em torno da profissão policial se relaciona com a prática da violência. Normal: somos os únicos profissionais autorizados pelo Estado a utilizá-la legitimamente. Então, não é raro que as pessoas queiram saber quantos socos, pontapés e tiros são efetuados em nosso serviço. Não imaginam que o uso da força é exceção durante o serviço policial ordinário, e que os policiais geralmente se ocupam mais com prestação de serviços corriqueiros e gerenciamento de pequenas crises, do que com ocorrências de grande vulto – que ocorrem também, mas em menor constância.

“Você é tão educado, nem parece ser policial…”

Algumas ações policiais e um histórico de repressões e arbitrariedades fazem com que as pessoas pensem que os policiais são todos truculentos, grosseiros e incultos. Nos chamados “anos de chumbo”, policiais atuavam na repressão a intelectuais de esquerda, em relação aos quais tinham pouca instrução – até mesmo pelos “métodos” de seleção da época. O resultado é que culturalmente tornou-se espantoso conhecer um policial que seja educado, polido e inteligente.

“Bandido bom é bandido morto. Acho que a polícia tem que bater mais…”

Sob a perspectiva de que as pessoas entendem que o policial, em regra, é truculento, não é raro que em algumas situações elas tentem agradá-lo fazendo apologia à violência policial. Tolos são os policiais que embarcam em tais incentivos, volúveis e irrefletidos, expressando um conservadorismo de momento, que se vira contra o próprio policial a partir do momento que a vítima da arbitrariedade possua algum laço de afeição com o incentivador da violência. Bandido bom é bandido morto quando o “bandido” é desconhecido e distante.

“Mas você trabalha no administrativo, não é?”

O trabalho de rua é considerado um trabalho menor pelas pessoas. Primeiro, porque só conseguem enxergar o trabalho repressivo e arbitrário, segundo, porque nós, policiais, fazemos pouca questão de orientar o trabalho operacional para a resolução de conflitos mediante negociação e interação cidadã. Deste modo, as pessoas torcem para que o policial seu conhecido seja um “administrativo” e não um “bicho-papão” desses que vive nas ruas espancando as pessoas…

“Não oferecemos desconto para policiais…”

Infelizmente, alguns policiais se utilizam do poder fornecido pela profissão para conseguir vantagens das quais não possuem direito. Desta postura descende o aviso prévio de comerciantes e donos de estabelecimentos, assim que identificam um policial em seu negócio, informando que policiais não pagam menos, nem deixam de pagar. É uma situação constrangedora que chega a gerar conflitos irreversíveis.

“Não gosto de policiais!”

Certamente apenas quem não é policial achará que esta frase não é dita. Existem casos de mulheres recusarem namorados assim que sabem que eles são policiais, amigos se distanciarem por causa da nova profissão ou até mesmo amizades nem sequer serem estabelecidas por causa do título “policial” que alguém possua. Preconceito e discriminação claros.

25 de fev de 2011

SUBSÍDIO PARA POLICIAIS

fonte: fábio campana


O deputado federal e delegado, Fernando Francisquini (PSDB), vai convocar o presidente nacional e do estado do Rio de Janeiro do PTC (Partido Trabalhista Cristão), Daniel Sampaio Tourinho, para prestar esclarecimentos sobre a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI-4504/10). A ação, protocolada pela direção do partido, impede a regulamentação da Emenda 29 (PEC 64), que garante subsídio aos policiais civis, militares e bombeiros do Paraná.

A informação é do presidente do Sinclapol, André Gutierrez, ao participar, nesta semana, de várias reuniões com parlamentares, em Brasília, para discutir assuntos ligados à segurança pública.

Na Câmara dos Deputados, Gutierrez acompanhou ainda o manifesto organizado pelas categorias policiais do país, para a aprovação da PEC 300/446 – outra proposta, em nível nacional, que assegura piso salarial aos profissionais da área de segurança.

23 de fev de 2011

RONE RECUPERA VECTRA GT ROUBADO

postagem original: bo de stive

Um carro Vectra GT roubado foi recuperado e uma pistola 9mm de marca HK, foi apreendida por policiais militares da RONE. Dois indivíduos também foram presos.





PISTOLA 380 APREENDIDA NO FAZENDINHA

postagem original: bo de stive

Durante patrulhamento pelo bairro do Fazendinha por volta das 11h00min, policiais militares da RONE, viatura 9325 comandada pelo Sargento Medeiros, avistou um indivíduo caminhando pela rua Aristides Borsato.

Quando este indivíduo avistou a equipe policial mudou a direção de sua caminhada, chamando a atenção dos policiais, de pronto modo os policiais efetuaram a abordagem ao indivíduo, que encontrava-se bastante agitado.

Logo na revista pessoal foi localizado em sua cintura uma pistola 380, marca Imbel, modelo MD-1. O indivíduo foi identificado com Thiago Ribeiro.

O indivíduo e o armamento foram encaminhados ao 11º DP.

21 de fev de 2011

OPINIÃO DO INTERNAUTA


REVOLTA!!! UMA VIDA TODA DE PM
Internauta: Jair Adam

Caros companheiros, esse filme eu sempre vi, vai melhorar, vai melhorar e nada. Conversa fiada, só melhora para oficiais, vamos nos unir ativos e inativos ESP dos militares e vamos para frente do palácio, sem armamento e sem bagunça. Reivindicar melhores salários. Paralisação já.
 
SOBRA A PEC 64
Internauta: Sandra Bete
 
Vejam bem senhores do ptc, o que acontece nos grandes paises onde a policia é bem paga e onde a justiça é mais justa. e os policiais e bombeiros não precisam fazer bicos para garantir o minimo necessário para ter um pouco a mais e conforto, e nem encarar riscos e perigo nos seus horáros de folga.isso ja ocorre desde que as pms e bms foram criadas, isso é uma vergonha nacional, sem contar também que abre espaço para os cursos superiores conseguirem empregos mis digneos na area de segurança. pois estudos ja se fizeram sobre a capacidade de trabalho de quem é mais estudado é maior. nas empresas multinacionais , e na segurança publica , não seá diferente. teremos advogados, medicos aruitetos engenheiros etc em nossas pms e bms . é a globalizaçãono paraná.

PEC 64: BETO RICHA NÃO VAI PAGAR O SUBSÍDIO ESPERADO POR POLICIAIS

fonte: lobo notícias

O secretário de Estado da Fazenda, Luiz Carlos Hauly, deixou claro hoje, em entrevista no quadro Olho no Olho com Joice Hasselmann, na rádio Band News, que Beto Richa não vai pagar a PEC DO SUBSÍDIO AOS POLICIAIS DO PARANÁ!

Segundo ele , não há dinheiro para pagar o aumento previsto pela PEC 64, aprovada pela Assembleia Legislativa no ano passado, e que prevê a remuneração dos policiais civis e militares do Paraná através de subsídio, com a incorporação das gratificações aos salários da categoria.

Pelo texto aprovado, o pagamento do novo salário deveria começar a ser implantado em abril. “Não há como cumprir. A não ser que indiquem onde cortar. Não há como atender”, disse.

“Não há como você enganar. Não há almoço grátis. Alguém paga a conta. Se quiser vamos abrir as contas. Não é hora de aumentar despesas”, avisou.

VOCÊ SABE O QUE É RUSTICIDADE POLICIAL?

fonte: danillo ferreira


O dicionário qualifica “rusticidade” como “Qualidade do que é rústico. Simplicidade extrema que chega ao limite da grosseria. Rudeza, grosseria, incivilidade (opõe-se a urbanidade)”. Por incrível que pareça, ao policial, notadamente o policial das ruas, é exigida tal característica, que vai de encontro à polidez exigida no seu trato com o cidadão, mas é perfeitamente necessária em várias ocorrências.

Quando se fala em rusticidade policial, não se está falando da parte da “incivilidade” ou “grosseria”, pois, como sabemos, a atividade policial é eminentemente social e cidadã, não podendo se distanciar das práticas solidárias à comunidade, comunitárias, pois.

Por outro lado, sem certa rusticidade, que podemos entender como um desligamento de certos cuidados e medos que as pessoas civilizadas têm em seu dia-a-dia, a atividade policial passa a se limitar ao atendimento a ocorrências em condições ideais, o que nem sempre (ou quase nunca) acontece.

Não fosse a rusticidade policial, o caso abaixo poderia ter conseqüências trágicas:


Imaginem que o policial ficasse receoso de se lançar ao salvamento da criança por causa do odor e da sujeira do valão. Uma vida seria perdida por causa dum “capricho” que ao policial é exigível descartar: esta é a importância da rusticidade no policial. Para salvar sua própria vida, em ocorrências em locais inóspitos, pode ser que o policial precise dormir (ou não) em lugares molhados, frios ou calorentos, com mosquitos etc. Se não conseguir atuar nesses ambientes, irá expor a vida própria e dos companheiros, além das possíveis vítimas envolvidas na ocorrência.

Nesta altura o leitor já deve estar entendendo o que é rusticidade policial, algo treinado e imposto simuladamente em vários cursos especializados existentes nas polícias de todo o país, inclusive os de Operações Especiais, como o exigido para ingresso no BOPE, do Rio de Janeiro.

A matriz da exigência da rusticidade certamente é militar, oriunda das Forças Armadas, que quando atua precisa da qualidade muito mais do que as polícias. A diferença é que, nas polícias, exigir rusticidade em momentos extremos sem atentar para a necessária cortesia no trato com os cidadãos cotidianamente tem conseqüências drásticas, algo não tão absurdo para as Forças Armadas, que têm como regra o aquartelamento. Infelizmente, muitos cursos e práticas policiais não conseguiram alinhar a tal rusticidade com a civilidade necessária a toda instituição cidadã.

20 de fev de 2011

PRESO HORAS DEPOIS DO ASSASSINATO DO IRMÃO

fonte: marcelo vellinho

Adriano saiu do carro e foi baleado.
Pelo menos quatro tiros mataram Adriano de Souza, conhecido como “Adrianinho”, 23 anos, por volta das 15h30 de ontem, na Vila Lorena, Uberaba. A polícia acredita que o crime tenha ligação com o tráfico da região, já que populares comentaram que o rapaz era usuário de drogas.

O irmão dele, Leandro de Souza, 28, foi preso horas depois com 150 gramas de cocaína e uma pistola calibre ponto 40. Segundo testemunhas, Adriano conduzia o Gol, placa CFG-2332, pela Rua Tenente Coronel Benjamin Lage, e foi seguido por um Corsa Sedan escuro.

Ele estacionou o carro na esquina com a Rua Graciette Salmon e, assim que saiu do veículo, foi baleado. O jovem não resistiu e tombou atrás do carro, ao lado do Centro Municipal de Educação Infantil Vila Lorena. Os marginais fugiram no Corsa, mas ninguém informou a placa.

Flagra

Horas depois, o irmão da vítima contou à polícia que sabia onde estaria o autor dos disparos. Porém, os policiais resolveram abordá-lo e encontraram cocaína no bolso do rapaz.

“Fomos até a casa dele e encontramos mais drogas, cerca de R$ 10 mil em dinheiro e a pistola”, informou o cabo Leal, da Rondas Ostensivas de Natureza Especial (RONE). Leandro foi detido e conduzido ao Ciac Sul, no Portão. As informações sobre o suspeito do homicídio foram repassadas à Delegacia de Homicídios.

POLICIAIS MILITARES RODOVIÁRIOS PRENDERAM HOMEM QUE TRANSPORTAVA FÚZIS, PISTOLAS E MUNIÇÕES

fonte: pmpr




Policiais militares rodoviários prenderam um homem, de 19 anos, na Rodovia Estadual PR 855 (próximo ao trevo de acesso às cidades de Bandeirantes e Santa Amélia) o qual levava 3 fuzis, quatro pistolas, mais de 2,2 mil munições, 21 carregadores para as armas e silenciador em um veículo Saveiro de cor vermelha (com placas de Guaíra - PR). A equipe policial realizava patrulhamento de rotina quando avistou o veículo e o abordou.

O condutor informou que visitaria parentes em São Paulo e a PM iniciou uma vistoria ao veículo. “Ao verificar a caixa de ar do carro, os policiais retiraram uma tampa de vedação e perceberam um objeto estranho. Indagado, o motorista disse que transportava munições, porém, ao desmontar algumas partes internas, a equipe começou a encontrar gradativamente os carregadores, munições de diversos calibres e peças de arma longa”, conta o Porta-Voz do Batalhão de Polícia Rodoviária, tenente Sheldon Keller Vortolin.

Também foi pedido apoio dos Corpo de Bombeiros local, que utilizaram um equipamento chamado espansor para abrir a lataria do veículo e retirar o armamento. A partir disso, foram encontrados 1 fuzil XM15-E25, calibre 223, com parte da numeração raspada; 1 fuzil M4-M4 A2, modelo AR-15, calibre 223, sem numeração; 1 fuzil U.S. Carbine, calibre 30; 3 pistolas Cherokee, calibres 9 mm (duas com numeração raspada); 1 pistola marca Walther, calibre 22, sem numeração e 1 silenciador para a pistola calibre 22

Munições de diversos calibres também foram encontradas, sendo 500 cartuchos intactos calibre 9 mm; 100 cartuchos intactos calibre 30; 1.444 cartuchos calibre 556; 250 cartuchos calibre 22; 10 carregadores para os fuzis e 11 carregadores para as pistolas.

“Ao ser localizado todos estes materiais, o condutor confessou que transportava a pedido de um primo, e entregaria na cidade de Campinas (SP), e receberia R$1.000,00 pelo serviço”, disse Vortolin. Ele foi preso e conduzido, juntamente com as armas e munições, à Delegacia de Polícia Civil de Bandeirantes para os procedimentos cabíveis.

HOMEM É PRESO FORTEMENTE ARMADO POR POLICIAIS DO 13º BPM EM CURITIBA

fonte: pmpr





Duas submetralhadoras e duas pistolas, além de um simulacro de arma de fogo e uma balança de precisão foram apreendidas pela Polícia Militar na tarde desta sexta-feira (18), na Rua João Batista Rossato Belinazo, no Jardim Gabineto, em Curitiba. Diego Rodrigo Constantino Simoas, conhecido como “Bob” foi preso e confessou ser proprietário do material. Uma das armas pertencia à Marinha do Brasil.

Policiais militares do 13º Batalhão da PM realizavam patrulhamento pelo local quando avistaram um grupo suspeito e tentaram abordagem. “Simoas foi detido e estava com uma das pistolas [calibre 9 mm de fabricação israelense] na cintura; outros três homens fugiram pelo matagal”, conta o tenente Edwagner de Lima Gonçalves, Comandante de Policiamento da Unidade na sexta-feira.

Segundo o oficial, as outras armas (duas submetralhadoras Beretas, calibres 9mm e mais uma pistola Jericó, de calibre 9mm) foram localizadas no local da abordagem, na beira do matagal. “Também encontramos a balança de precisão, o simulacro [arma de brinquedo], e 146 munições correspondentes às armas. Uma das submetralhadoras estava com dois carregadores, um com 40 das munições e outro com 36”, relata o tenente.

Simoas já possuía antecedentes por roubo e porte ilegal de arma de fogo e foi encaminhado, juntamente com o material apreendido, à 11ª Subdivisão policial para procedimentos cabíveis. “Apesar de ser flagrado com uma das armas na cintura, Simoas disse que só estava passando por ali”, diz o tenente.

FORAGIDO DA COLÔNIA PENAL AGRÍCOLA É RECAPTURADO TRAFICANDO EM ARAUCÁRIA

fonte: blog do lobão



Na quinta-feira dia (17) o RONE efetuou uma operação em Araucária onde veio lograr êxito em recapturar um foragido da Colônia Penal Agrícola na área central onde o mesmo estava em posse de um revólver calibre 38 , uma balança de precisão, dinheiros e uma quantia pequena de maconha .

O mesmo utilizava documentos com outro nome, ele usava nome falso, na habilitação que foi recolhido com o mesmo estava o nome de S. E. B. J., este é o nome falso que ele usava .

Seu verdadeiro nome é Derliel Abi da Luz , foragido onde cumpria pena da Colônia Penal Agrícola, por tráfico , homicídio.

Este individuo estava traficando novamente , havia várias denúncia anônima no disk denúncia 181 , contra este elemento.

Esta preso na delegacia de Araucária a disposição da justiça novamente .

18 de fev de 2011

SP, VÍDEO: POLICIAL CIVIL FEMINIA É DEIXADA NUA POR COLEGAS E REVISTADA A FORÇA

fonte: jornal da band



O Jornal da Band mostra nesta sexta-feira um caso de humilhação, no qual delegados e policiais de São Paulo tiraram à força a roupa de uma colega, em busca de provas que supostamente a incriminariam. O fato aconteceu no 25° Distrito Policial em Parelheiros, zona sul de São Paulo.

A reportagem teve acesso com exclusividade a imagens gravadas pela corregedoria da polícia civil, que mostram um suposto caso de corrupção praticado por uma ex-escrivã. Segundo a denúncia, a policial teria recebido R$ 200 para ajudar um acusado a se livrar de um inquérito. A investigação transcorria normalmente até que o delegado Eduardo Henrique de Carvalho Filho, decide que a acusada seria revistada. Ela não se recusa, mas pede a presença de policiais femininas.

O pedido é feito nada menos do que 20 vezes em pouco mais de 12 minutos. Além do delegado Eduardo, está na sala o delegado Gustavo Henrique Gonçalves - que também é da corregedoria da Polícia Civil - e o delegado titular da delegacia, Renato Luiz Hergler Pinto, chefe da acusada.

Em vários momentos da gravação, feita pelos próprios policiais, a acusada pede a ajuda do chefe. No vídeo é possível identificar pelo menos seis homens e duas mulheres, todos agentes públicos.

Os policiais não se importam com a presença da câmera e mesmo sem a policial se recusar a ser revistada, ela é algemada a força e depois é despida.

As imagens foram feitas em 2009, mas foram mantidas em sigilo pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. A suspeita ainda não foi julgada, mas mesmo assim, foi expulsa da polícia civil. Para a corregedoria a ação dos envolvidos foi correta e moderada. Ninguém mais foi punido ou processado.

Agora, o Ministério Público está investigando a conduta dos policiais e já cobrou explicações da corregedora e do Secretário Estadual da Segurança Pública, Antônio Ferreira Pinto.

PB, PEC 300: VEJAM O RESULTADO DE UMA PRESSÃO LEGÍTIMA E INTELIGENTE - O GOVERNO ESTADUAL RESOLVEU DIALOGAR!

fonte: diniz k-9



Governo diz aos policiais que está disposto a negociar, mas pede que categoria não traga proposta fechada.

O secretário-chefe do Governo da Paraíba, Walter Aguiar, iniciou nessa sexta-feira (11) o processo de negociação com as categorias policiais, civis e militares, além dos agentes penitenciários, que estão mobilizados por reajuste salarial.

Ele recebeu uma comissão de 20 representantes do movimento, no Palácio do Governo, e expôs a situação do Estado, explicando que não será possível dar nenhum aumento a curto prazo, mas informou que nos próximos quatro anos o Governo vai valorizar e viabilizar o resgate dos salários das categorias da área de Segurança do Estado.

Acompanhado do comandante geral da Polícia Militar, coronel Euller Chaves, do secretário de Segurança e Defesa Social, Cláudio Lima, e do chefe do Gabinete Militar, coronel Fernando Chaves, o secretário Walter Aguiar explicou que o Governo está disposto a negociar, mas sem pressão, uma vez que as categorias se apresentaram às negociações já com uma proposta fechada em algo similar à chamada “PEC 300”, que foram os reajustes concedidos mediante leis aprovadas no governo passado e cuja legalidade está sendo questionada na Justiça.

Para Walter, era preciso dialogar e começar a negociação do princípio, de forma que se possa obter avanços. “A gente não inicia um processo de negociação fazendo greve ou acampando na frente do Palácio do Governo”, esclareceu.

O encontro foi antecedido por uma reunião com o secretário da Administração, Gilberto Carneiro, com quem os policiais obtiveram as primeiras informações sobre a situação do Estado. A grande dificuldade é construir uma proposta nos moldes que está sendo exigida pela categoria.

“O Governo se manteve firme na disposição de dialogar, só que mostramos a situação do Estado, que não é confortável. Não nos comprometemos com nenhum aumento porque nós não podemos, a situação do Estado é caótica”, disse Aguiar, frisando que a atual gestão não é responsável por essa situação, mas tem todo o interesse de construir uma proposta para as categorias.

O Governo propôs constituir uma comissão junto com a categoria para construir uma proposta em 40 dias, mas essa proposta não foi aceita pelos representantes do movimento. O Governo quer construir uma proposta para as três categorias conjuntamente, mas no momento não pode alimentar uma expectativa de aumento.

“A reunião foi um grande avanço, foi importante porque quebrou o gelo, mas não chegamos a construir uma proposta”, disse Walter Aguiar. Apesar de não ter se chegado a um denominador comum, as lideranças do movimento saíram da reunião com Walter Aguiar declarando que houve avanços.

O presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado da Paraíba, Antônio Erivaldo de Sousa, destacou esse avanço no diálogo entre o Governo e o Fórum das Entidades Associativas e Sindicais da Segurança do Estado da Paraíba.

Já o diretor social da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiros, o sargento Erivan Souza, também comentou que o importante é que houve diálogo, e que isso só não aconteceu anteriormente porque houve uma atitude individual de algum segmento do movimento.

“A nossa entidade não participou do primeiro movimento”, explicou. Entre os integrantes da comissão, estavam ainda o ex-deputado Major Fábio; coronel Francisco de Assis, presidente do Clube dos Oficiais; líderes sindicais como Isaías Olegário, presidente do Sindicato e da Associação dos Delegados de Polícia Civil da Paraíba; e o deputado Frei Anastácio.

RJ: "MENSALÃO" NA POLÍCIA CIVIL DO RIO?

fonte: danillo ferreira


De acordo com o que a mídia vem divulgando em relação à Operação Guilhotina e seus desdobramentos, não há dúvida que os autores de Elite da Tropa 2 (livro) e Tropa de Elite 2 (filme) criaram manuais de instruções para entender o que tem se tornado público agora.

As notícias que surgem dão conta dum verdadeiro sistema de corrupção no âmbito das polícias, atingindo inclusive o ex-delegado chefe da Polícia Civil, acusado por uma testemunha, segundo O Globo, de receber propina na ordem de R$ 500.000,00 mensais:

O relato de X. detalha também o suposto pagamento de R$ 500 mil mensais a Turnowski. A propina seria paga por um sargento PM que atuava como adido – policial militar lotado em delegacias especializadas – da Divisão Antissequestro (DAS) e domina uma milícia em Jacarepaguá, além de explorar caça-níqueis em Rio das Pedras. Segundo o informante, o PM, que mora num condomínio de luxo na Barra da Tijuca, costuma participar de reuniões com policiais, entre eles Turnowski, numa badalada churrascaria do bairro e circula em veículos blindados, com escolta.

No lugar do delegado exonerado, assumiu a delegada Martha Rocha, que em entrevista à Folha decidiu não colocar a questão da corrupção no foco, por preferir “falar dos bons policias”. Só não pode a nova delegada chefe cair na armadilha que muitos comandantes e chefes policiais caem, ao serem seduzidos por se manter no cargo de maneira negociada, como brilhantemente ilustrou e aconselhou Luiz Eduardo Soares em um texto:

“O risco é ser uma ‘boa chefe’, segundo as cartilhas e os clichês. Aquela chefe capaz de ‘agregar e liderar’. Por esse ralo prosaico perdemos talentos e esperanças. Aposto que nessa hora de espanto – assumir a chefia -, algum conselheiro já lhe terá soprado ao ouvido a vulgata dos manuais de auto-ajuda gerencial. Não, Martha, resista. Recupere em você aquela cintilação rebelde dos primeiro anos. Insurja-se contra a letargia das boas intenções e o deserto moribundo do bom senso. Se você repetir o que quase todos fizeram, em nome da governabilidade, voltará a reinar a tolerância, que, onde você está, é sinônimo de cumplicidade com o intolerável. São muitas as forças da inércia e são múltiplos seus ardis. Vozes da paralisia lhe soprarão os bordões apaziguadores: componha, negocie, não exacerbe tensões, não radicalize, jogue água fria na fervura. Não, Martha, isso vale para a política, que se enobrece e enriquece com o pluralismo e as alianças. Na polícia, não. O plural de que falo, nas polícias, não é o plural das idéias divergentes. Viva essa pluralidade. O plural de que falo, aqui, é outro: é aquele que incita o convívio com segmentos corruptos.

Tarefa espinhosa assume a Delegada Martha Rocha, que precisará que os honestos e bem intencionados “saiam do armário” e componham consigo forças que se insurjam contra os segmentos corruptos, pois a corrupção é, sim, problema primeiro, urgente, inevitável – não obstante entender a defesa da delegada à probidade. É, sim, importante dizer que “nem tudo está perdido”, mas antes diga-se que perdido estará tudo que não for moral, ético, legal e profissional.

17 de fev de 2011

VÍDEO: COMPLICAÇÃO EM SALVAMENTO DE SUICIDA

fonte: youtube, usuário: brebueno

Ocorrências envolvendo suicidas são um tipo comum de desafio que os bombeiros militares brasileiros enfrentam. O estado emocional de quem quer tirar de si seu bem maior, a vida, é sempre caótico e descontrolado.

No caso do vídeo em destaque, o cidadão acaba caindo da ponte, apesar de estar aparentemente disposto a desistir do intento suicida.

Caso houvesse um bolsão de ar na via, os danos seriam menores.

15 de fev de 2011

PM É MORTO POR ANDARILHO EM FRENTE A BOATE EM LONDRINA

fonte: gazeta do povo

Ele teria tentado evitar um furto e acabou baleado pelo mendigo, que lhe tomou a arma. O policial estava de folga.

Um policial militar foi morto na madrugada deste sábado (12) por um andarilho nas proximidades de uma boate de Londrina. De acordo com informações do telejornal Paraná TV 1ª Edição, da RPC TV, Josemar Márcio da Silva, de 34 anos, que estava de folga, teria percebido que um andarilho tentava furtar um ambulante e resolveu intervir.

Segundo testemunhas, policial e andarilho teriam entrado em luta corporal durante a discussão. Silva teria tentado afastar o infrator disparando um tiro para o alto. Mas o andarilho conseguiu tomar a arma do policial, que acabou baleado e morto.

Outro homem, que teria tentado separar a briga levou, dois tiros de raspão, um no braço e outro na barriga. O autor dos disparos foi encontrado escondido em um matagal. Ele foi baleado por policiais por ter reagido à prisão. O homem, de 28 anos, tem passagens pela polícia.

A PM não soube confirmar se o soldado morto trabalhava como segurança da boate. De acordo com a polícia, a arma que ele portava era particular.

Nossos pesames aos familiares do policial, que em comprimento do dever veio a falecer. Que Deus conforte seus corações.


Estamos de Luto!!!

VÍDEO: BEBADO ACHA LATINHA FALANTE DA SKOL E CHAMA A POLÍCIA

fonte: youtube, usuário: clandestinobr
Dica do internauta: valdir30

OPINIÃO DO INTERNAUTA


PEC 64
Internauta : Fabiano Nascimento

Senhores não é possivel que após tanta esperança em sermos valorizados pelo menos financeiramente, venhamos a ver mais uma vez sonhos serem apagados, temos que fazer algo e somente nos unindo e deixando o anonimato e as palavras ignorantes e vis, as diferenças internas  é que poderemos lutar por algo que não é só um direito mais algo que meremos pelo nosso empenho ante a sociedade.

GANHAR PELO QUE FAZ
Internauta: PM Interior

Quanto a essa declaração que os oficiais devem ganhar mais e trabalhar menos, ou só ficar no planejamento, isso é conversa passada, o que nós praças estamos reivindicando não é pelo que nós estudamos ou sei lá o quê, mas sim pelo que nós fazemos, eu quero ganhar bem, pois o meu trabalho é importante porquê protejo a vida do cidadão, colocando a minha em perigo, só por isso, e não se eu fiz dez faculdades ou qualquer curso dirigido por ai. O MEU TRABALHO É O QUE VALE, AFINAL A VIDA DO CIDADÃO VALE MAIS QUE QUALQUER FACULDADE VALITA POR AI.

SITUAÇÕES, E SITUAÇÕES! ESSA É A PM NÃO IMPORTA O ESTADO

fonte: notícias da caserna, o dia

Veja as duas matérias e tire suas conclusões, em minha ignorância, eu não achei diferença nenhuma entre os casos:

PM É FILMADO FAZENDO STRIPTEASE EM SÃO LUÍS(MARANHÃO)


TENENTE JÚLIA LIERS SERÁ COROADA MUSA "BOLA PRETA", NESTA SEXTA-FEIRA NO RIO DE JANEIRO(RIO DE JANEIRO)


Rio - A tenente Julia Liers será coroada musa do Cordão do Bola Preta, nesta sexta-feira, na sede do bloco, no Centro do Rio. A morena é ainda musa da Mangueira, desfilará pela Grande Rio e é rainha da Independente de São João de Meriti.

AMAI CONTESTA ADI CONTRA O SUBSÍDIO

fonte: amai

O advogado da AMAI, José Lagana, está em Brasília nesta segunda-feira (14), para contestar a Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 4504 ingressada pelo Partido Trabalhista Cristão – PTC, contra a Emenda Constitucional 29, que determina a remuneração por subsídio para os policiais e bombeiros militares do Paraná.

A AMAI requer ao STF a admissão na ADI como “amicus curiae”, para esclarecer que a Emenda 29 não é inconstitucional, uma vez que a remuneração por subsídio é uma determinação presente na Constituição Federal, trazida pela Emenda 19 de 1998. Portanto, ao contrário do que o partido alega, a Emenda 29 não traz nada novo e nem viola a independência dos poderes, apenas busca cumprir uma diretriz constitucional omitida pelo Governo Estadual há mais de uma década.

O Poder Executivo chegou a implementar esta forma de remuneração no Paraná, porém, apenas para os desembargadores, para as carreiras de magistrados e Ministério Público e para os demais agentes da Administração. Os policiais civis, policiais e bombeiros militares, procuradores do Estado e advogados públicos não tiveram a suas remunerações alteradas. Por este motivo, o Partido Democrata ingressou, em 2009, com a Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão nº 06 contra a administração do Paraná e o próprio Estado.

A Assembleia Legislativa, tão omissa até um passado recente, vem agora, reparar a sua omissão, colocando no texto estadual o que consta na Constituição Federal (Emenda 29).

Interessante notar que este mesmo Partido Trabalhista Cristão “apoia” a PEC 300 no Congresso Nacional e abrigou, até o final da última legislatura, o então deputado federal Paes de Lira. Aqui no Paraná, o PTC não tem nenhum representante na Assembleia.

GANGUE DO PM

fonte: paraná on-line


Uma quadrilha de assaltantes, especializada em atacar nas saídas de banco, foi desmantelada por investigadores do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), na noite de domingo.

Delegado acredita que mais vítimas vão reconhecer os detidos.

Oito homens foram presos, entre eles quatro foragidos e o policial militar Laudir Fernandes, 48 anos, que dava cobertura e emprestava armas para o bando. O grupo foi flagrado repartindo o dinheiro roubado de uma churrascaria, no Jardim das Américas.

De acordo com o delegado Alexandre Macorin, a quadrilha era investigada desde o fim do ano passado, e surgiu a informação que pelo menos dois membros estariam presos na cadeia de Clevelândia, no sudoeste do Estado.

No início de fevereiro, Diogo Selhorst, 21, Paulo Marcos Adão Leme, 39, David Ramos Steigleder, 19, e Ademir de Paula, 22, foram resgatados daquela prisão, com ajuda do soldado Laudir, lotado na Ajudância Geral no Quartel do Comando Geral da PM.

Fuga

“Onze presos fugiram e os quatro ficaram dois dias no mato, comendo milho e cana, até que Laudir fosse buscá-los. Pelo que apuramos, Diogo e Paulo já faziam parte da quadrilha e convenceram David e Ademir a se juntar ao bando”, informou Macorin.

David estava preso por tráfico de drogas e Ademir foi condenado a 23 anos de prisão por roubos e latrocínio. Nas investigações, a polícia começou a ligar os suspeitos com crimes que vinham acontecendo em Curitiba.

“Na quinta-feira da semana passada, os quatro foragidos de Clevelândia roubaram uma Fiorino, carregada de balas e doces, no Boqueirão. Mas o forte do grupo era os assaltos em saída de banco. Eles praticavam dois a três roubos por semana”, disse o delegado.

Conforme apurado nas investigações, o policial Laudir desempenhava várias funções na quadrilha. “Ele alugava armas por R$ 500, participou do resgate em Clevelândia, emprestava sua casa para as reuniões do bando e também fazia levantamento de informações para aos roubos”, disse o delegado.

Monitorados

Na noite de domingo, a quadrilha planejava assaltar uma churrascaria, na Avenida das Torres, Jardim das Américas. Porém, como havia muito movimento no lugar, eles aguardaram a saída do proprietário e o assaltaram quando chegava em casa.

“Roubaram R$ 3,7 mil em dinheiro, cheques, tickets-refeição e a caminhonete S-10 da vítima”, relatou Macorin. Toda a ação foi flagrada pelos policiais, que faziam monitoramento dos suspeitos. “Seguimos a quadrilha até a residência do PM, no bairro Guabirotuba, onde os surpreendemos no momento em que dividiam os produtos do assalto”, acrescentou o delegado.

Além dos foragidos e do policial, foram presos Isaias da Silva, 33, Antônio Romildo Sperandio, 36, e Geraldo Correia da Silva, o “Tio Patinhas”, 40. Todos foram autuados em flagrante por formação de quadrilha, porte ilegal de arma e roubo.

Eles foram removidos ao Centro de Triagem II, em Piraquara. O delegado acredita que, com a divulgação das imagens dos detidos, diversas vítimas irão reconhecê-los. O telefone do Cope é o (41) 3284-6562.

13 de fev de 2011

RONE REFORÇA O PATRULHAMENTO NO LITORAL

postagem original: bo de stive


São muitos os e-mails que recebemos perguntando se a RONE está atuando no litoral do estado? A resposta é sim!

Desde o inicio da "Operação Verão", equipes da RONE tem deslocado ao litoral, para se juntar aos demais policiais na preservação da ordem.

Então se você deparar ou for abordado por uma equipe RONE não estranhe, a tropa de elite atua em todo o território paranaense e até mesmo fora do Paraná.

MENORES SÃO APREENDIDOS COM ARMAS E DROGAS NO GANCHINHO

fonte: marcelo vellinho

Adolescentes escondiam 1,4 quilo de crack e 600g de maconha.

Dois adolescentes foram apreendidos, com arma e drogas, nas Moradias Dom Ângelo, no Ganchinho. No início da tarde de ontem, a polícia foi informada que tiros eram disparados na vila e, ao apurar a denúncia, flagrou os garotos, com um revólver calibre 38, na Rua Aristocleto Taborda Portella.

A dupla estava parada em frente a uma residência. “Fizemos uma varredura na casa e encontramos 1,4 quilo de crack e 600 gramas de maconha em um dos quartos”, disse o sargento Balles, da Rondas Ostensivas de Natureza Especial (RONE).

Os garotos, ambos de 17 anos, foram encaminhados à Delegacia do Adolescente. “Segundo os moradores, um deles é acusado de um homicídio recente na região”, afirmou o policial.

Outro

Próximo dali, outra equipe da RONE prendeu um rapaz, com um revólver calibre 32, mas não foi informado se ele era conhecido dos adolescentes. O detido foi levado ao 10.´ Distrito Policial (Sítio Cercado).

FÚZIL É APREENDIDO PELA PM EM GUAÍRA

fonte: pmpr



Policiais Militares do 3º Pelotão de Guaíra, pertencentes a 19º batalhão, apreenderam um fuzil de uso restrito das Forças Armadas, na madrugada desta sexta-feira (11). Um jovem de 23 anos foi detido e seu irmão de 16 anos apreendido. Junto à arma de fabricação russa, a PM encontrou 30 munições. As apreensões aconteceram após perseguição policial aos jovens.

A ação aconteceu durante um patrulhamento realizado no centro da cidade. Segundo o soldado Eduardo Zoldir Barazetti, após escutar tiros a equipe policial se encaminhou até a Rua Antônio S. da Costa, onde os dois jovens foram encontrados. “Ao realizar buscas próximo ao local, a PM se deparou com uma moto Honda cor prata. Ao perceberem a movimentação da polícia, os suspeitos fugiram”, afirma.

Durante a perseguição, conta Barazetti, um dos rapazes jogou um objeto na rua. “Realizada a abordagem, a PM constatou que se tratava de uma pistola calibre 762, de fabricação russa, de uso exclusivo das forças armadas, e também um carregador e 30 cartuchos”, disse. Os jovens foram encaminhados à 13ª Delegacia Regional de Polícia, juntamente com o armamento apreendido. A polícia ainda investiga o envolvimento da dupla com assaltos a cargas de cigarros na cidade.

Fuzil – De acordo com informações da PM, este já é o segundo fuzil apreendido pelos policiais militares de Guaíra neste ano de 2011. “No dia 18 de janeiro, durante uma operação conjunta entre policiais civis e militares, outro fuzil sem marca e numeração foi apreendido”, explicou. Um carregador adaptado para 16 cartuchos, junto a um revólver calibre 38, foram apreendidos nesta mesma ação.

“Em ambas as ocasiões, informações levantadas pelas equipes policiais, davam conta que os fuzis apreendidos eram utilizados por criminosos, na realização de roubos na cidade de Guaíra e também nas cidades da região”, finalizou.

Tem que enviar a RONE para Guaíra!!!
Os caveiras vão exorcizar a bandidagem da região.

Parabéns aos Policiais Militares de Guaíra, envolvidos nas ocorrências descritas.

GUARDAS MUNICIPAIS DE CURITIBA AMEAÇAM REALIZAR GREVE

fonte: joyce carvalho do estado do paraná

Os guardas municipais de Curitiba vão fazer nos próximos 30 dias ações voltadas para a população da cidade. A atitude foi tomada em uma reunião da categoria na noite desta sexta-feira (11). Esta é a resposta para a proposta da Prefeitura de Curitiba para os salários e plano de carreira da categoria. De acordo com a proposta das secretarias de Recursos Humanos e Defesa Social, o vencimento básico passaria de R$ 850,92 para R$ 1 mil. A gratificação de segurança seria fixado em R$ 450. A remuneração saltaria dos atuais R$ 1.276,38 para R$ 1450. Os valores vão agradaram os guardas municipais.

“Nós queremos que seja mantido a gratificação de 50% sobre o salário total, como acontece hoje. Nossa proposta para o piso é de R$ 1,3 mil”, conta Alessandra Oliveira, diretora do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc).

Os guardas municipais realizaram um protesto ontem em frente ao edifício Delta, que abriga secretarias da Prefeitura de Curitiba. A categoria reivindica, além de melhores salários, a implantação do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos. De acordo com o Sismuc, havia a promessa da aplicação do plano no final do ano passado. A administração nega que haja atraso e que as negociações são normais neste processo.

Oliveira afirmou que a Prefeitura de Curitiba pediu mais 30 dias para analisar a situação da categoria e, por isto, os guardas municipais decidiram fazer ações que mostrem a importância da atividade para o cidadão. “Mas se não houver uma resposta em 30 dias, não tem outra alternativa a não ser a greve”, explica.

SENADO GASTA R$ 64 MIL COM AÇOUGUE, FRIOS E FRUTAS PARA SARNEY

fonte: amanda costa do contas abertas

Em comemoração ao “fico” na presidência do Senado Federal, o tetrapresidente José Sarney (PMDB-AP) não economizou no supermercado. Na última semana, foi autorizada pela Casa a reserva de recursos no orçamento da ordem de R$ 64 mil para a compra de produtos de açougue, frios e frutas in natura. Todo o material será entregue na residência oficial da presidência da Casa, portanto, no endereço do próprio Sarney. Banquete à vista!

E as compras para a residência do presidente do Senado não param por aqui. Outros R$ 5,1 mil foram programados para garantir a limpeza da casa. Quem também está de olho no esfregão é o Grupamento de Infraestrutura e Apoio de São José dos Campos, da Força Aérea Brasileira. O órgão comprometeu R$ 7,8 mil para a aquisição de 75 panos de limpeza, nas cores verdes e azuis. Sempre a postos, a ordem agora é “limpeza, senhor”.

Mudança de poder, mudança também de prioridades. O Judiciário resolveu gastar, e gastar bem, com a contratação de empresas para a prestação de serviços de locação de veículos blindados de representação. O custo da contratação e do aluguel será a bagatela de R$ 72,8 mil. Ministros bem protegidos não têm preço!

Já a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) vai despender R$ 5,4 milhões para a compra de 150 veículos da Ford Brasil, que atenderão a divisão de transportes da PCDF. Serão 100 carros modelo Fiesta Hatch 1.6, zero quilômetro. Os outros 50 são modelo Focus Sedan 2.0, também zero quilômetros. Uma frota digna da produção cinematográfica “Corra que a polícia vem aí”.

Mas nem só de carros viverá a administração pública. A Secretaria do Superior Tribunal de Justiça autorizou a compra de 7 m² de couro de porco para encadernação, na cor natural. A aquisição será para o laboratório de conservação. Com procedimentos mais requintados, assim segue a vida…

QUATRO POLICIAIS E UM DESTINO

fonte: tribuna do interior

A segurança pública de Mariluz – 85 Km de Campo Mourão – definitivamente não vai nada bem. Embora as estatísticas confirmem se tratar de uma pacata cidade, lá é mais comum encontrar vereadores a policiais. Ao todo são apenas quatro policiais militares para um município com 10,2 mil habitantes. A Câmara conta com nove nobres edis. Trata-se de uma realidade absurda, uma vez que, para cada 2,5 mil habitantes existe apenas um policial nas ruas. A Organização das Nações Unidas (ONU) defende a equação de um profissional para cada grupo de 250 pessoas.

A decadência da segurança pública do pequeno município é explícita logo ao chegar a delegacia. Lá, quem recepcionou a equipe da TRIBUNA foi um dos 19 detentos. Não havia naquele momento absolutamente nenhum policial. A cidade é tão carente em segurança que, muitas das informações foram repassadas pelo próprio prefeito. Os atuais PMs são novos na cidade. Os antigos estão presos em Curitiba.

Eram pouco mais de 15h quando os presos tomavam sol no pátio da delegacia. Eles estavam acompanhados de familiares. Era dia de visita. Nos três cômodos que integram a recepção do prédio, ninguém. Nenhuma viva alma. Tivemos que bater na última porta fechada. Quem a abriu foi um dos presos. “O pessoal saiu, mas daqui a pouco eles voltam”, informou. Questionado se não poderia fugir, ele respondeu que não. “Aqui ninguém foge não senhor”. E não saem porque não querem mesmo. Nos fundos, onde tomam sol, o muro é baixo, conseguindo inclusive se apoiar sobre o portão. Aliás, o mesmo portão não é fechado, pelo menos a tarde. Um dos detentos chegou a abri-lo, saiu na calçada para dar informações a nossa equipe. Depois, voltou e o fechou.

A Polícia Civil, que deveria estar presente no prédio e, consequentemente, cuidar dos presos, lá não existe. O carcereiro não mora na cidade e aparece somente para o banho de sol dos detentos. A unidade está submetida à delegacia de Cruzeiro do Oeste. O único escrivão faz parte dos quadros da prefeitura e até a alimentação dos PMs é fornecida pelo município. “Aqui nós fazemos o boletim de ocorrência, investigamos, prendemos, encaminhamos e, quando da ainda cuidamos dos presos”, afirma o PM Gouveia. “Aqui tem mais vereadores do que policiais. E não é papel nosso zelar dos detentos”, lembrou.

Recém nomeado, o delegado de Cruzeiro do Oeste, Gustavo Tucci, disse que, legalmente, ainda não responde pela delegacia de Mariluz. “Não saiu a portaria me responsabilizando por aquela unidade, ainda”, afirmou. No entanto, ele sabe que a situação por lá anda caótica. “É um absurdo, um descaso”, diz. Segundo ele, logo que a portaria for assinada, ele deverá enviar pessoal da civil. Caso contrário, poderá haver transferência de todos os detentos e, conseqüentemente, parar o atendimento definitivo na cidade. Em resumo, hoje, a delegacia de Mariluz, oficialmente, não existe. Até parece um prédio fantasma assombrado pela ausência da Polícia Civil.

A realidade em Mariluz:

4 policiais existem em Mariluz

10,2 mil é a população local

1 policial para cada 250 pessoas é a equação da ONU

2009 foi o último ano em que ocorreram assassinatos na cidade

19 detentos possui a delegacia local

POLICIAIS DO 4º BPM ESTÃO VISIVELMENTE FORA DO PESO

fonte: odiario.com

Policiais Militares acima do peso pode? A dificuldade em manter a forma física atrapalha o desempenho no trabalho? Afinal, correr atrás de bandidos não é uma tarefa das mais fáceis. Exige esforço, habilidade e muito preparo físico.

Policiais enfileirados no 4º BPM: algumas barriguinhas salientes

Cenas flagradas pela reportagem durante um ensaio para receber novatos mostram que muitos policiais do 4º Batalhão de Polícia Militar de Maringá estão acima do peso. Enfileirados em posição de sentido é possível observar que vários PMs estão com aquela barriguinha saliente. Em uma outra situação, um policial trabalhando no Centro da cidade, com a forma física bem longe do ideal.

O tenente Alexandro Marcolino Gomes, responsável pelo Comunicação Social do 4º BPM, afirma que muitos militares estão com sobrepeso e até obesos. O problema é verificado, principalmente, em PMs com mais 40 anos e que atuam na polícia há cerca de 20 anos.

Policial em serviço no Centro
Ele admite que não existe uma alimentação controlada por nutricionistas no local, mas que as refeições servidas aos PMs que fazem parte do efetivo nas ruas e os do setor administrativo não fogem muito do que indicam os especialistas.

"Temos diariamente arroz, feijão, uma carne e um complemento, que pode ser uma maionese, uma farofa." E a salada? São três ou quatro tipos variados nas refeições. Costume implantado pelo comandante do batalhão, coronel Paulo César Larson Carstens.

"Quando ele chegou ao batalhão solicitou a inclusão de várias saladas até mesmo para que todos se habituassem a essa boa prática de alimentação." Aliás, o coronel, segundo o tenente, é exemplo para todos no batalhão. Carstens corre todos os dias para manter a forma. "Ele deixa muito soldado para trás", brinca Gomes.

O preparo físico com exercícios diários também é fundamental para que os policiais militares mantenham a boa forma. Quando entram para a polícia, a exigência é grande. Além das técnicas de abordagem, tiros e toda a instrução para o trabalho, os futuros policiais passam por avaliação física na escola preparatória.

Corrida, barra, prova do taquinho (shuttle run, corrida de ir e vir que mede a resistência e a agilidade) são algumas das provas realizadas. Com o passar do tempo, a acomodação também chega, principalmente para alguns profissionais que atuam no setor administrativo.

Apesar de muitos policiais estarem acima do peso ideal, o 4º BPM mantém estrutura para exercícios. O espaço é aberto, inclusive para familiares e a população que se interesse em praticar atividade física. "Temos muitos familiares de policiais e pessoas da comunidade que frequentam o espaço", afirma o tenente.

No batalhão é possível praticar exercícios aeróbicos, além de participar de grupos de atletismo. Dois campos de futebol e e duas quadras de futebol de areia também ficam à disposição. "Às terças e quintas-feiras temos o futebol e vários policiais participam."

Os exercícios são orientados por um policial com formação em atividade física. Todos os cursos de formação da corporação também incluem a disciplina "Qualidade de vida no trabalho; os policiais são orientados a manter o bom preparo físico, mental e separar problemas pessoais do trabalho."

Além disso, todos os cursos têm a disciplina de Educação Física, com 80 horas/aula e de defesa pessoal, que também envolve atividade física, num total de 40 horas/aula."O objetivo é mostrar as ferramentas para que o policial tenha um cotidiano de qualidade e possa desempenhar bem o trabalho."

Apesar das oportunidades, muitos policiais não aproveitam o espaço para se exercitar. Segundo o tenente, a escala de serviço puxada (12 horas de serviço para 24 horas de folga, ou 12 horas de serviço noturno para 48 horas de descanso) faz com que muitos prefiram ficar com as famílias e resolver assuntos particulares na período de descanso. "Além disso, muitos são convocados para operações especiais e acabam trabalhando a mais."

Antes que alguém venha critica os policiais, devemos lembrar o seguinte:



Após um turno de trabalho noturno de 12 horas os policiais tem 48 horas de folga, porém as primeiras 24 horas é referente ao dia em que ele amanheceu trabalhando, então policial desejar descansar, mais que justo.


No segundo dia, geralmente existe uma escala extra, escala essa que são pagos a miséria de R$ 100,00 pelos serviços prestados do policial. Independente de quantas escalas o policial realizar, ele vai receber os mesmos R$ 100,00.


Esse valor de R$ 100,00 está a muito tempo ultrapassado e está na hora de ser atualizado ou melhor extinto. E que comece a ser pago horas extras, já que todos os trabalhadores do Brasil recebem horas extras porquê a PMPR não?


Hoje uma boa academia custa em média R$ 80,00, ou seja, o valor que o policial recebe pelos serviço extraordinário, mal paga uma academia.


A coorporação não dá o mínimo de suporte aos policiais, para que estes promovam alguma atividade física a maioria dos batalhões não possuem academia e com os salários defasados, não há possibilidade dos policiais assumirem mais essa despesa.


E fica aqui mais uma ressalva, os Batalhões sejam da capital ou do Interior, tem o costume de realizar a jantar dos policiais as 18h30m, sendo que o policial tem que trabalhar até as 08h00m da manhã, então muitos acabam não se alimentando e partindo para o famoso "Lanchão" em horário mais oportuno.

PEC 64: ÍNTEGRA DA PETIÇÃO PARA ENTERRAR A EMENDA 29

fonte: stf

DECISÃO


ADOÇÃO DO RITO DO ART. 12, DA LEI N. 9.868/99. PEDIDO DE INFORMAÇÕES E SUBSEQUENTE MANIFESTAÇÃO DA AGU E DA PGR.


1. Ação direta de inconstitucionalidade, com pedido de medida cautelar, ajuizada, em 6.12.2010, pelo Partido Trabalhista Cristão - PTC, contra a Emenda Constitucional n. 29, de 28 de outubro de 2010, que alterou a Constituição do Estado do Paraná, nos seguintes termos:

“Art. 1º Ficam acrescidos §§ 15 e 16 ao art. 45 da Constituição Estadual, com a seguinte redação:
“§ 15. A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros do Estado do Paraná, passam a perceber como remuneração, o subsídio, em parcela única, em observância ao contido no § 4º do artigo 39, em face do que dispõe o § 9º do artigo 144, ambos da Constituição Federal”.
“§ 16. A partir da implantação da remuneração dos militares estaduais na forma do § 15 deste artigo, exigir-se-á, para o preenchimento do cargo, na Polícia Militar do Paraná, além de outras condições definidas em lei, curso de nível superior para ingresso como Soldado de Segunda Classe e curso de Direito para ingresso na carreira de Oficial do Quadro de Oficiais Policiais-Militares e curso de Engenharia para ingresso no Quadro de Oficiais Bombeiros-Militares”.
Art. 2º Fica acrescido o § 5º ao art. 47, da Constituição do Estado do Paraná, com a seguinte redação:
“§ 5º A remuneração dos servidores policiais civis, passa a ser fixada na forma disposta pelo § 4º do artigo 39 da Constituição Federal em face do que dispõe o § 9º do artigo 144 da Constituição Federal, observado o disposto nos incisos X, XI e XV do artigo 27 e dos §§ 4º, 5º e 6º do artigo 33 da Constituição do Estado do Paraná”.
Art. 3º Fica acrescido o § 10 ao art. 33, da Constituição do Estado do Paraná, com a seguinte redação:
“§ 10. A remuneração, sob a forma de subsídio passa a ser fixada com a diferença de 5% de uma para outra classe, aos servidores públicos integrantes da Carreira Jurídica Especial de Advogado dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário do Estado do Paraná, obedecendo ao disposto no § 4º do artigo 39 da Constituição Federal, observado, o contido nos incisos X, XI e XV do artigo 27 desta Constituição”.
Art. 4º Fica acrescido o art. 61 aos Atos das Disposições Finais e Transitórias da Constituição Estadual do Paraná, com a seguinte redação:
“Art. 61. A implementação do subsídio previsto nesta Constituição, será gradual e terá início em cento e oitenta dias, contados da promulgação da Emenda Constitucional que o instituiu”.
Art. 5º Esta Emenda Constitucional entrará em vigor na data de sua publicação.”.


Segundo o Autor, essa lei contraria os arts. 2º, 61, § 1º, inc. II, “a” e “c” e 63, inc. I, da Constituição da República.

2. O Autor sustenta a inconstitucionalidade formal da emenda ora impugnada, de iniciativa parlamentar, pois ela teria “altera[do] a forma de remuneração da Polícia Militar, do corpo de Bombeiros e da Polícia Civil do Estado do Paraná e (...) a forma de ingresso de Praças e Oficiais no corpo das referidas forças militares” (fl. 8).

Alega que “é de competência privativa do poder executivo legislar sobre remuneração de servidores, visto que tal ato implica em aumento de despesa e eventual entendimento contrário violaria frontalmente os artigos 2º, 61, § 1º, II, “c”; e 63, I, da [Constituição da República]” (fl. 8).

Requer cautelar para suspender os efeitos da emenda ora atacada e, no mérito, pede seja a presente ação julgada procedente para “declarar a inconstitucionalidade da Emenda Constitucional n. 29/2010 do Estado do Paraná” (fl. 22).

3. Adoto o rito do art. 12 da Lei n. 9.868/99 e determino sejam solicitadas, com urgência e prioridade, informações das autoridades apontadas, para que as prestem no prazo máximo e improrrogável de dez dias.

Na sequência, dê-se vista ao Advogado-Geral da União e ao Procurador-Geral da República, sucessivamente, para que cada qual se manifeste, na forma da legislação vigente, no prazo máximo e igualmente improrrogável e prioritário de cinco dias cada qual (art. 12 da Lei n. 9.868/99).

Publique-se.

Brasília, 21 de dezembro de 2010.


Ministra CÁRMEN LÚCIA
Relatora

PEC 64: NO STF, ADIN CONTRA EMENDA 29 SUBSÍDIO DA CONSTITUIÇÃO

fonte: angelorigon.com.br

A ministra Carmen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, estabeleceu prazo de 10 dias para que a Assembleia Legislativa do Paraná preste informações a respeito de ação direta de inconstitucionalidade ajuizada pelo Partido Trabalhista Cristão contra emenda constitucional de outubro do ano passado, que alterou a Constituição paranaense.

A Advogacia-Geral da União e a Procuradoria-Geral da República também deverão se manifestar a respeito. O PTC alega que a emenda número 29, de 28 de outubro de 2010, é inconstitucional porque teria alterado a forma de remuneração da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Civil do Paraná, além da forma de ingresso de praças e oficiais no corpo das referidas forças militares.

O partido alega que “é de competência privativa do poder executivo legislar sobre remuneração de servidores, visto que tal ato implica em aumento de despesa e eventual entendimento contrário violaria frontalmente os artigos 2º, 61, § 1º, II, “c”; e 63, I, da [Constituição da República]”.

PB: PM'S DA PARAÍBA ACAMPAN EN FRENTE AO PALÁCIO DO GOVERNADOR

fonte: danillo ferreira


Neste momento, policiais militares da Paraíba – PMPB – estão fazendo uma “vigília” em frente ao Palácio do Governador, reivindicando melhorias salariais. Para quem não lembra, antes das últimas eleições, o Governador José Maranhão (PMDB) se comprometeu com a implementação dum aumento salarial nos termos da PEC 300 para os policiais da Paraíba. Porém, ele não foi reeleito, e o atual governador, Ricardo Coutinho (PSB), vetou a medida.

Em uma assembleia realizada ontem, os policiais militares paraibanos decidiram realizar uma vigília em frente ao Palácio do Governador, decidindo sair de lá apenas quando uma comissão de representantes dos policiais, liderados pelo Deputado Federal Major Fábio, se reunisse com o Governador:

O ex-deputado Major Fábio (DEM) tuittou há poucos instantes que a Assembleia dos policiais realizada na tarde desta sexta-feira chegou ao fim e a decisão foi de que os policiais irão acampar de frente ao Palácio até serem recebidos pelo governador Ricardo Coutinho.

‘Terminou a Assembléia Geral e a decisão é ficar na Praça até sermos recebidos pelo Governador’, Tuittou o parlamentar.

Mais de dois mil policiais já estão praça dos 3 Poderes, centro da Capital. Eles dizem que o movimento é uma ‘greve branca’, em reação as medidas administrativas adotadas pelo novo governo.

No último dia 5 de fevereiro, os policiais se reuniram em Assembleia e decidiram que iriam negociar até esta quinta-feira, (10), quando toda corporação já tem recebido seus contra-cheques. A idéia era que se não conseguissem um acordo com o governo do Estado fariam uma greve até o carnaval.

No último dia 2 de fevereiro, ocorreu uma caminhada de protesto dos policiais militares reivindicando o pagamento da chamada PEC 300 e uma audiência com o governador Ricardo Coutinho, mas não obtiveram êxito.

Milhares de policiais, liderados pelo major Fábio, ex-deputado federal e pelo cel. Francisco de Assis, ocuparam as ruas do centro de João Pessoa, protestando contra a suspensão judicial do pagamento da chamada PEC 300, que resultaria em aumento de mais de 100% no soldo dos policiais.

‘Enviamos ofício desde o dia 19, pedimos audiência, mas o que recebemos foi o silêncio. O governador precisa dialogar com os policiais’, discursou Major Fábio do alto de um carro de som.

Tomara que os policiais militares paraibanos consigam um acordo justo com o Governo, que até agora não se dispôs a dialogar com os representantes da categoria.

Parabéns a todos os envolvidos na mobilização, que entenderam bem a necessidade da luta coletiva para alcançar profissionalismo e dignidade.

Que sirva de exemplo a outros estados!

STJ DECIDE QUE ARMA SEM MUNIÇÃO NÃO ACARRETARÁ AUMENTO DE PENA

fonte: conjur


STJ decide que arma sem munição não aumenta penaA 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça decidiu que arma sem munição usada em roubo não pode ser causa de aumento de pena, já que nessa condição não representa perigo concreto de lesão à vítima. Como a falta de munição havia sido comprovada por perícia, a majorante de uso de arma foi excluída e a pena de um ano, nove meses e 10 dias de prisão reduzida. Além disso, o regime inicial de cumprimento será o aberto.

Esse também foi o entendimento da 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal que, em agosto de 2009, concedeu Habeas Corpus a um portador de arma de fogo sem munição. Os ministros da turma entenderam que porte ilegal de arma de fogo desmuniciada, sem que o portador tenha as balas em mãos, não configura o tipo previsto no artigo 10 da Lei 9.437/97.

No mês seguinte, a 1ª Turma do STF também considerou que o contrário era válido. Entendeu que o porte de munição não configura o crime de porte ilegal de arma de fogo. O caso tratava de um homem que guardava em sua casa sete cartuchos de munição de uso restrito, como recordação do período em que foi sargento do Exército. Com informações da Assessoria de Imprensa do Superior Tribunal de Justiça.
HC 177.133

8 de fev de 2011

BR: CONCURSO POLÍCIA FEDERAL 2011

fonte: danillo ferreira


O Concurso da Polícia Federal é um dos mais esperados para 2011, não só por causa dos salários oferecidos para os cargos, mas pelo status que a profissão policial no âmbito da União vem adquirindo nos últimos tempos. Para este ano, espera-se a abertura das seguintes vagas:

- 328 vagas para agente administrativo (nível médio);
- 116 vagas para papiloscopista;
- 396 para agente de polícia;
- 362 para escrivão (nível superior em qualquer área);
- 150 para delegado (nível superior em direito).

Segundo o G1, a Polícia Federal está aguardando autorização do Ministério do Planejamento para lançar o edital.

Aos interessados no certame, deixamos 12 perguntas comumente feitas por candidatos aos cargos da PF, com as respectivas respostas disponibilizadas no site do Departamento de Polícia Federal:


***

01) O curso de tecnólogo é aceito para ingresso nos cargos de Agente, Escrivão e Papiloscopista?

R: Os cursos superiores de tecnologia reconhecidos pelo Ministério da Educação são suficientes para atender o requisito da graduação para provimento nos cargos de Agente de Polícia Federal, Escrivão de Polícia Federal e Papiloscopista Policial Federal.

02) Quais são as fases do concurso e quais os requisitos para ingresso nos cargos policiais?

R: As fases e os requisitos somente serão divulgados quando da abertura dos respectivos concursos. As fases e os requisitos dos concursos anteriores podem ser acessados nesta página:

- http://www.pf.gov.br/institucional/concursos/edital

- http://www.pf.gov.br/institucional/concursos/legislacao

- http://www.dpf.gov.br/institucional/concursos/provas-e-gabaritos-de-concursos-anteriores

Ressalte-se que poderão ocorrer alterações no tocante às exigências futuras.

03) Como posso obter as Instruções Normativas referentes à avaliação psicológica, ao exame médico, à investigação social e ao exame de aptidão física?

R: As Instruções Normativas poder ser encontradas nesta página: – http://www.pf.gov.br/institucional/concursos/legislacao. Ressalte-se que poderão ocorrer alterações no tocante às exigências futuras.

04) Há previsão para abertura de concurso público para os cargos da carreira policial ou para os cargos da carreira administrativa?

R: A POLÍCIA FEDERAL protocolou junto ao Ministério da Justiça solicitação para abertura de concurso público para provimento de 381 cargos de Agente Administrativo – nível intermediário (AADM) do Plano Especial de Cargos da POLÍCIA FEDERAL. Para os demais cargos não há previsão.

05) Quais os níveis de escolaridade exigidos para se concorrer aos cargos da carreira policial e aos da carreira administrativa?

R: A carreira policial exige curso de graduação em estabelecimento de ensino superior, reconhecido pelo MEC – (Ministério da Educação), e a carreira administrativa pede segundo e terceiro graus completos, respectivamente, para nível médio e superior. A lei que trata do assunto é a 9.266/96 alterada pela Lei 11.095/05, artigo 2º.

06) Quais os salários dos cargos da POLÍCIA FEDERAL?

R: Para a carreira administrativa, a remuneração inicial é de R$ 3.114,17 (nível médio) e R$ 3.875,72 (nível superior). Para a carreira policial, conforme Medida Provisória nº 386, de 30 de agosto de 2007, o subsídio inicial é de R$ 13.368,68 para os cargos de Delegado de Polícia Federal e Perito Criminal Federal e de R$ 7.514,33 para os cargos de Agente, Escrivão e Papiloscopista Policial Federal..

07) Há altura mínima, idade máxima, restrição a brasileiros naturalizados ou proibição de uso de tatuagens para o ingresso nos quadros da POLÍCIA FEDERAL?

R: Existe restrição apenas quanto à idade, qual seja, ser maior de 18 (dezoito) anos e observar o limite estabelecido para a aposentadoria compulsória.

08) Como fazer para ingressar no Comando de Operações Táticas – COT, Coordenação de Aviação Operacional – CAOP, INTERPOL, NEPOM e outros?

R: Estas são áreas internas da POLÍCIA FEDERAL, não existindo concurso público para ingresso. O provimento destas áreas é feito através de recrutamento interno.

09) Há vagas para portadores de necessidades especiais destinadas aos cargos da carreira policial da POLÍCIA FEDERAL?

R: Não, entretanto, a POLÍCIA FEDERAL disponibiliza vagas para PNE no quadro do Plano Especial de Cargos, carreira de apoio administrativo.

10) Como fico sabendo das convocações para o Curso de Formação Profissional?

R: As convocações são publicadas por meio de editais, no Diário Oficial da União e no sítio da empresa organizadora do certame.

11) A convocação de candidados sub judice implica a não convocação de candidato regularmente aprovado no concurso público?

R: Não.

12) A POLÍCIA FEDERAL indica apostilas, livros ou curso preparatório para seus concursos?

R: Não.

13) Informações encontradas em jornais, revistas ou fóruns de discussão são fontes seguras de informação sobre concursos da POLÍCIA FEDERAL?

R: Desde que reproduzam fielmente as informações divulgadas através da Imprensa Nacional ou do sítio da organizadora do certame e também desta página, poderão ser fontes de consulta.

JOGOS: TOPA OU NÃO TOPA?

Descrição do Jogo: Está pronto para ganhar um milhão no jogo Topa ou não Topa virtual mas muito igual ao verdadeiro apresentado por Silvio Santos? Então participe desse incrível jogo online escolhendo as maletas onde você acha que tem escondido o valor de 1.000,000 e depois conforme as regras elimine as demais maletas que você não quer. Assim como no programa aqui nesse jogo você também receberá ofertas do banqueiro então utilize os comandos “Deal” caso queira aceitar ou então “No Deal” para não aceitar. É um jogo de entretenimento e ao mesmo tempo de muito desafio, jogue e divirta-se de montão.

Como jogar: Use o mouse para jogar.  

JOGOS: TROPA DE ELITE, CADÊ O BAIANO?

Descrição do Jogo: O jogo Tropa de Elite online grátis consiste em ajudar o capitão Nascimento a pegar o traficante Baiano que está escondido em uma comunidade da periferia do Rio de Janeiro. Faça o possível para que nenhum tiro a atinja o capitão e tente pegar o bandido pelo pescoço para lhe dar uns bons tapas e conseguir informações sobre outros bandidos que moram no morro.

Como jogar: Setas para movimentar o personagem do jogo e barra de espaço para dar tapas.

INAUGURANDO SEÇÃO JOGOS ON-LINE

Estamos inaugurando mais uma seção em nosso blogger, é a seção de "Jogos On-Line".

Como nosso blogger muitas crianças tem acessado ou acompanham os pais enquanto eles acessam, decidimos criar uma seção somente para eles.

Para localizar todos os jogos disponíveis, basta clicar na seção "Jogos On-Line" no guia de seções do lado direito do blogger.

7 de fev de 2011

RONE APREENDE COLETE BALISTICO, ARMA E DROGAS EM COLOMBO

postagem original: bo de stive


Após levantamentos da P2/BOPE a viatura 9308 da RONE comandada pelo Tenente Souza, efetuou a abordagem a um veículo Pálio, aonde no interior encontrava-se 4 indivíduos.

Realizada as buscas no inteiro do veículo foi localizado uma sacola contendo 200 gramas de cocaína, todos os ocupantes do veículos disseram desconhecer tal entorpecente, a equipe RONE deslocou até a residência do proprietário do veículo.

Em buscas no imóvel, foi localizado mais 500 gramas de cocaína, 230 gramas de crack, um colete balístico com emblema da Polícia Civil e um revólver calibre 38 marca Rossi, com a numeração raspada.

Diante dos fatos os indivíduos e os produtos apreendidos foram encaminhados a DP de Colombo.

O Tenente Souza já não pertence mais a RONE, uma baixa lastimável para a tropa. Os administradores do blogger, desejam muita sorte, ao Tenente Souza, em sua nova empreitada na PMPR.

SECRETÁRIO DE SEGURANÇA REÚNE COMANDOS DAS POLÍCIAS PARA ORGANIZAR NOVAS CONTRATAÇÕES

fonte: aen

O secretário da Segurança Pública, Reinaldo de Almeida César, reuniu-se na noite de sexta-feira (04) com os comandos da Polícia Civil, da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e com o Procurador Geral do Estado, Ivan Bonilha, para organizar os processos de contratação de novos policiais.

Almeida César disse que o trabalho neste momento se concentra em realizar um diagnóstico sobre vagas disponíveis, validade dos concursos recentes e necessidade de abrir novos processos de seleção. “Encerrada esta fase, serão feitas gestões junto às secretarias da Fazenda e Planejamento para encaminhar as novas contratações”, afirmou o secretário.

O encontro contou com a participação do comandante da Polícia Militar, coronel Marcos Scheremetta, o comandante dos Bombeiros, coronel Hercules Donadello, o delegado-geral da Polícia Civil, Marcos Vinicius Michelotto, e o procurador Geral do Estado, Ivan Bonilha, para traçar uma linha de ação visando à contratação de novos policiais para as corporações.

Polícias – O comandante da PM afirmou que a iniciativa do secretário de Segurança de reunir as polícias para encaminhar uma solução para o aumento dos efetivos demonstra que o Governo do Estado está empenhado em resolver esta situação o mais breve possível. “Contamos com a vontade do governador Beto Richa para resolver a situação o mais breve possível. Todos nós queremos dar à população uma resposta rápida em termos de segurança”, disse o comandante Scheremetta.

Para o delegado-geral da Polícia Civil a reunião com o secretário Almeida César é um passo importante para o planejamento estratégico dos órgãos de segurança. “É essencial fazermos esta discussão juntos, pois há uma defasagem de pessoal absurda nas corporações”, destacou Michelotto, lembrando que a situação das forças de segurança.

PR: 12 MIL PROJÉTEIS DE FÚZIL E MIL FRASCOS DE LANÇA-PERFUME SÃO APREENDIDOS

fonte: portal g1

Após uma denúncia anônima, a Receita Federal apreendeu mil frascos de lança-perfume e doze mil projéteis de fuzil AR-15 e AK-47 no fundo falso de um ônibus que estava estacionado em um posto de combustíveis na rodovia BR-277, em Foz do Iguaçu, no Paraná.

De acordo com informações oficiais divulgadas, o motorista do veículo foi preso em flagrante e deve ser indiciado por contrabando de mercadoria proibida e tráfico de drogas.

A apreensão, considerada pela Receita a maior de munição na fronteira entre Brasil e Paraguai, ocorreu no domingo (6).

PEC 64: MOBILIZAÇÕES E TRABALHOS PELO SUBSÍDIO CONTINUAM...

fonte: amai
Os trabalhos da AMAI não terminaram com a promulgação da Emenda 29, que estabeleceu o prazo de 180 dias para que o Governo do Estado inicie a implementação do subsídio, como forma de remuneração dos policiais e bombeiros militares. Pelo contrário, com a promulgação teve início uma nova e importante etapa para garantir uma remuneração justa, que promova a merecida valorização profissional e amplie a qualificação da corporação, através da exigência do curso superior para ingresso na Instituição.

Agora, com a instalação do novo governo, a AMAI inicia contato com as diversas autoridades, como o Comandante Geral da PMPR, o Secretário de Segurança Pública, a Secretaria de Planejamento, a Secretaria de Administração e Previdência, as associações e até mesmo com interlocutores do governador Beto Richa, no sentido de articular a implementação da Emenda. Todos têm conhecimento e não podem ignorar o comando constitucional de implementar o subsídio em breve, muito breve. Não se trata de um conflito, mas sim de uma discussão séria e importantíssima, que deve ser conduzida com equilíbrio e responsabilidade.

O que se busca agora são respostas de “como” e “quando” o subsídio será implementado, bem como o conteúdo das leis complementares que precisam ser criadas para regularizar a nova forma e o valor da remuneração, bem como o ingresso na corporação com curso superior.

É importante lembrar que o apoio dos policiais e bombeiros militares, assim como dos familiares e amigos, deve continuar. Seja através dos adesivos que estão disponíveis na sede da AMAI ou do envio de emails às autoridades, solicitando a implementação do subsídio e, principalmente, mobilizando os deputados, prefeitos, vereadores e a sociedade civil organizada.

O trabalho em equipe entre as associações da classe, que estão cada vez mais fortalecidas, também é destaque nesta nova fase, pois estaremos sempre atentos e operantes para cobrar, no sentido de fazer valer o direito ao subsídio, com os prazos e regulamentações respeitados.

A PEC 300 E O NOVO PRESIDENTE DA CÂMARA MARCO MAIA

fonte: danillo ferreira


O Deputado Federal “Marco Maia anunciou ainda a instalação imediata de uma comissão para discutir a PEC 300/08 (piso salarial dos policiais dos estados). ‘Após o encerramento dos trabalhos da comissão, a proposta será colocada em votação’”. É o que informou a agência de notícias da Câmara dos Deputados.

A notícia deve ser lida como mais uma tentativa de protelação da votação da PEC 300. Não há o que “discutir” sobre a PEC 300, a não ser um aspecto – a vontade política de dar dignidade aos policiais e bombeiros brasileiros. Mesmo porque, após a aprovação da medida por completo (o que só foi feito no primeiro turno da câmara) ainda há a regulamentação da PEC, que irá dispor sobre origem de recursos e outros detalhes.


A grande questão é: cada passo dado no sentido da aprovação é uma batalha perdida na guerra pela aquisição de recursos para os profissionais de segurança pública. Ou se prioriza a segurança, área mais caótica e urgente que o poder público brasileiro tem que enfrentar atualmente, ou continuaremos com a epidemia de violência.

Sem esperar a boa vontade dos parlamentares, principalmente do Presidente da Câmara (que é do partido da Presidente da República), os policiais brasileiros precisam se mobilizar. Comecem mandando mensagens para o site do Deputado Marco Maia, cobrando a inclusão da PEC 300 na pauta de votação. Peçam aos colegas de trabalho que façam o mesmo, além de amigos e familiares. Cada um deve mandar pelo menos uma mensagem por dia. Quanto mais impopular parecer a resistência, menos a resistência existirá. Clique no link abaixo para acessar o formulário:

Contato com o Deputado Federal Marco Maia – Presidente da Câmara Federal

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...