16 de jun de 2012

PY: 17 MORTOS EM CONFLITO DA POLÍCIA E SEM-TERRA NO INTERIOR DO PARAGUAI




Sete policiais e dez camponeses morreram e 27 agentes de segurança ficaram feridos em um tiroteio que aconteceu nesta sexta-feira no interior do Paraguai, durante uma tentativa da polícia de expulsar 150 camponeses sem-terra que invadiram uma reserva florestal em Curuguaty, 400 quilômetros ao norte de Assunção, capital paraguaia. O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, leu na capital um comunicado sobre a violência. “Expresso meu grande pesar e repúdio aos fatos que conduziram à morte de pessoas”, disse Lugo. “Manifesto o mais firme apoio às forças da ordem que se desempenham na defesa e preservação da lei”, afirmou o mandatário.

Lugo, que não aceitou perguntas da imprensa, disse que enviou as Forças Armadas para Curuguaty, onde os militares deverão apoiar as ações policiais. O ministro do Interior, Carlos Filizzola, confirmou que 10 camponeses foram mortos em um combate contra policiais.

O comissário de polícia Walter Gómez, chefe de investigações policiais em Curuguaty, disse à emissora de rádio Cardinal de Assunção que o tiroteio continua na reserva florestal. “Os invasores não querem se render, então teremos que continuar até controlar a situação”, disse Gómez.

A reserva florestal, de dois mil hectares, fica dentro da fazenda Morumbi, propriedade do ex-senador paraguaio Blas Riquelme, do Partido Colorado (oposição).

“Há vinte anos declaramos o bosque como reserva florestal, mas desde o ano passado os sem-terra insistem em se instalar nela. Os fiscais Miguel Rojas e Ninfa Aguilar ordenaram o despejo meses atrás, mas a polícia não cumpriu o mandado judicial porque primeiro tentou uma saída pacífica dos invasores”, disse José Riquelme, filho do proprietário.

Héctor Cristaldo, presidente da Coordenação Agrícola do Paraguai, entidade patronal do agronegócio, disse que o governo “foi muito brando, nos últimos três anos, com os invasores de propriedades privadas. Inclusive, quando há alguns meses os sem-terra invadiram uma fazenda de soja no departamento do Alto Paraná, o presidente Lugo os ajudou com alimentos, médicos, enfermeiras e instalou escolas móveis no local. Isso não foi correto”, opinou Cristaldo.

José Rodríguez, considerado assessor dos invasores, comentou: “Lugo não pode solucionar um problema social grave, que é a recuperação das terras do Estado, adquiridas há décadas por pessoas não sujeitas à reforma agrária, como Riquelme.Vivemos uma situação séria no Paraguai e ela ficará pior porque os pobres precisam de um pedaço de terra”. Ele disse que os sem-terra resistiram à polícia apenas com revólveres de calibre 22.

Lugo está a doze meses do final do seu mandato e não cumpriu uma das suas promessas, a reforma agrária para 87 mil famílias camponesas pobres. O governo não pôde comprar terras por falta de dinheiro no orçamento, ante a ausência de terras do Estado para alojar os camponeses sem-terra.

fonte:  associated press

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As regras dos comentários são as seguintes:

- Serão rejeitados textos com linguagem ofensiva ou obscena, com palavras de baixo calão, com acusações sem provas, com preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com a legislação nacional;

- O comentário precisa ter relação com a postagem;

- Os comentários são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores e não refletem a opinião deste blog.


* Os comentários são liberados da moderação, com um prazo de 24 horas, os administradores do blogger exercem outros trabalhos e não possuem tempo integral de dedicação ao blogger, desculpem mas só assim é possível.

Aos chorões que acham que temos algo contra a Policia Civil ou determinada OPM, nós só publicamos o que está na mídia com fonte e tudo, não inventamos matérias e não é nossa intenção colocar uma instituição contra a outra, então antes de mandar comentários denegrindo os administradores do Blog, verefique a fonte no final da matéria.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...